Factos & Documentos

Nº 1743 - Verão 2018
Publicado em Factos e Documentos por: Revista Seara Nova (autor)

Marianas, antigo bairro de barracas

Localizada nas Marianas, um antigo bairro de barracas junto ao mar, a escola secundária de Carcavelos ocupava uma das últimas posições entre mais de 800 escolas na viragem do século. Atualmente é uma das 80 melhores em termos de resultados externos, uma ascensão imparável no país que não para de melhorar. "Ninguém queria vir para a escola em 2003", rememora o diretor, Adelino Calado.

Enrique Pinto-Coelho

Diário de Notícias, 22 de Março de 2018

 

Combate religioso essencial

O combate religioso essencial trava-se na luta pela justiça, pela dignidade de todos.

Anselmo Borges

Diário de Notícias, 30 de Março de 2018

 

Escravidão e corrupção do mundo

É evidente que Paulo escreveu há mais de 2000 anos. A escravidão e a corrupção do mundo em que vivia, hoje, têm novos rostos e novas vítimas. Repetem-se as denúncias de que estamos a globalizar a destruição do nosso planeta, quando temos todos os meios para fazer dele um paraíso, novos céus e nova terra (Ap21).

Frei Bento Domingues

Público, 1 de Abril de 2018

 

Plano de Acção para a Mobilidade Militar

Os governos da União Europeia membros da NATO têm em seu poder um «Plano de Acção para a Mobilidade Militar». (…) O seu objectivo é «suprimir as actuais barreiras à mobilidade militar» no espaço europeu sob domínio da NATO, «modificando as estruturas não adaptadas aos pesos e dimensões das máquinas militares, nomeadamente em pontes e vias férreas que apresentem uma capacidade de carga insuficiente».

José Goulão

Abrilabril, 6 de Abril de 2018

 

Aumentos exponenciais das rendas

Há cem mil famílias em risco de ver a renda triplicar a partir de 2020 (…) Há arrendatários a serem confrontados com aumentos exponenciais, especialmente nas grandes áreas urbanas. E em Lisboa (…) as rendas chegam a duplicar e triplicar de valor assim que os contratos terminam.

Ana Margarida Pinheiro

Diário de Notícias, 10 de Abril de 2018

 

Bombardeamento "perfeito"

O bombardeamento "perfeito" da Síria terá ainda deixado alguns amargos de boca na Casa Branca e no Pentágono. Em vez de se abster, como muitos esperavam, a China assumiu claramente o lado da Rússia nesta crise. A mesma China que, juntamente com a Rússia (e com o Irão e a Coreia do Norte mais atrás), suplantou a "ameaça terrorista" como o grande desafio à América no novo conceito estratégico dos Estados Unidos.

Carlos Santos Pereira

Diário de Notícias, 16 de Abril de 2018

 

Lei de bases da saúde I

Costa assumiu que falará com o PSD onde a esquerda não colabora — e o seu Governo pediu a Maria de Belém uma lei de bases da Saúde. E a ala esquerda? Prefere essa ou a do Bloco, que António Arnaut está a preparar?

David Dinis

Público, 19 de Abril de 2018

 

Lei de bases da saúde II

Há uma divergência que parece insanável: o ministro (Adalberto Campos Fernandes) não tem mostrado abertura para acabar com as PPP. (…) Para o BE e PCP, este é um ponto assente: as parcerias público-privadas (PPP) têm de acabar.

Ana Maia

Público, 21 de Abril de 2018

 

Machadada nos municípios

Com o atual pacote da descentralização, apoiado por PS e PSD, que mais não é do que uma machadada nos municípios, que ficarão sobrecarregados de competências (na educação, na saúde, no património, nas vias de comunicação, etc.), sem a correspondente transferência de meios, passando a assumir, perante as populações, o ónus da incapacidade de resposta aos seus problemas (veja-se o caso dos incêndios e da limpeza das florestas). Competências essas que deviam, isso sim, pelas suas caraterísticas e dimensão, ser transferidas para os inexistentes órgãos do poder local previstos na Constituição: as regiões administrativas!

Rui Sá

Jornal de Notícias, 30 de Abril de 2018

 

Classe média brasileira

Esta maioria chamada classe média foi a que sempre sofreu mais com as políticas instituídas naquele país (e com a corrupção que sempre foi inerente a essas políticas), pois, diferentemente dos pobres, possuía dinheiro para pagar o que devia e, ao contrário dos ricos, não tinha dinheiro suficiente para fugir ao pagamento do que devia (ou seja, para corromper, subornar, e assim não pagar). Neste sentido, esta classe passou a trabalhar com foco em dois objetivos: aproximar-se cada vez mais dos ricos e afastar-se cada vez mais dos pobres. (…) Obviamente que a classe média não gostou quando começou a emergir uma "nova classe média" (média-baixa) no Brasil. E foi neste sentido que eu cansei de ouvir, durante os governos Lula e Dilma, comentários do tipo: "Onde já se viu? Agora empregada doméstica quer ter direitos, quer ter carteira de trabalho assinada e etc!", "Onde já se viu? Agora "qualquer um" anda de avião!", "Onde já se viu? Agora fulana não quer mais trabalhar como faxineira, quer estudar, arrumar um trabalho melhor!"

Juliana Iorio

Diário de Notícias, 3 de Maio de 2018

 

Lei dos despejos

O presidente da Associação dos Inquilinos Lisbonenses diz que só revogando a atual lei, que apelida de lei de despejos, é possível resolver este problema.

Sónia Peres Pinto

Jornal i, 7 de Maio de 2018

 

1% para a Cultura

1% para a Cultura é um objectivo para os dias de hoje. Define para a Cultura – para todas as suas actividades mais relevantes socialmente e, por isso, objecto da política cultural do Estado – um valor mínimo no Orçamento do Estado, correspondente àquele que a sociedade já atribui no seu viver. Na formulação do Manifesto em defesa da Cultura, 1% para a Cultura significa a atribuição imediata de um mínimo de 1% do OE à Cultura e um plano faseado no sentido de atingir a médio prazo 1% do PIB. Não há «paixão pela Cultura» ou «desígnio nacional» que possa escapar a isto: se a Cultura é factor fulcral de desenvolvimento pleno da sociedade e do indivíduo, se é factor de democratização e deve ser democratizada, então tem de ter o peso adequado no Orçamento do Estado.

Pedro Penilo

Abrilabril, 7 de Maio de 2018

 

Despejos e Cristas

Despejos e Cristas são duas faces dessa mesma moeda que impiedosamente nega o direito a um tecto.

Jorge Cordeiro

Diário de Notícias, 11 de Maio de 2018

 

Sistema de proteção civil

Para além de várias medidas aprovadas pelo Governo, quase exclusivamente associadas à redução do risco de incêndio florestal e ao reforço do combate a este, o sistema de proteção civil, no seu conjunto, continua sem uma avaliação global, tanto no ponto de vista do exercício da responsabilidade dos órgãos institucionais como das estruturas operacionais nos vários níveis.

Duarte Caldeira

Abrilabril, 19 de Maio de 2018

 

Política delinquente de Israel

A política americana para o Médio Oriente é refém da política delinquente de Israel. (…) Foi aprovada, na presidência portuguesa de Agosto de 1980, a resolução 478, que sancionava e considerava nula e de nenhum efeito pela lei internacional a anexação por Israel de Jerusalém Leste e pedia aos países que ainda tinham embaixada em Jerusalém para a retirarem para Telavive. Resolução que agora os Estados Unidos vêm contrariar, violando a lei internacional e cedendo à política de força e discriminação étnica que Israel insiste em prosseguir e me surpreende como a menos adequada para honrar a memória dos judeus que foram perseguidos ao longo da História e que pereceram na ignomínia do inferno do Holocausto.

Fernando d’Oliveira Neves

Público, 23 de Maio de 2018

 

Multinacionais no desporto

A súbita "paixão" das multinacionais pelo desporto, que se confunde com a paixão por tudo que lhes assegure lucros fabulosos, induziu alterações ao nível dos conceitos, do impacto na "indústria" e na publicidade, das formas como os Estados e o capital privado intervêm e suportam a actividade económica em torno do desporto, em particular do futebol.

Jorge Cordeiro

Diário de Notícias, 25 de Maio de 2018

 

Idosos

"Os idosos vivem demasiado e isso é um risco para a economia global! Há que tomar medidas urgentes", Christine Lagarde, directora do FMI.

Diário de Notícias, 1 de Junho de 2018

Ver todos os textos de REVISTA SEARA NOVA