Cinema: "O cavaleiro de copas" de Terrence Malick

Nº 1735 - Primavera 2016
Publicado em Cultura por: Dulce Rebelo (autor)

Esta é a história dum argumentista de filmes que, em plena indústria do cinema de Hollywood, sofre uma crise de identidade.

É habitual não se valorizar devidamente o nome dos argumentistas que afinal são os que escrevem o guião, criam personagens de ficção e os respectivos diálogos que irão ser interpretados pelos artistas.

Christian Bale encarna o papel dum argumentista que se interroga sobre a utilidade do seu trabalho e da sua inspiração criativa, em busca duma identidade perdida.

Errando por praias desertas ou espaços infindáveis, sem presença humana, evoca o seu passado, os lugares que frequentou, as mulheres que conheceu (figuras estas criadas por Natalie Portman e Cate Blanchett) bem mais expressivas nos seus sentimentos do que o protagonista.

O rosto imóvel, de olhar ausente, esconde o turbilhão de pensamentos, de interrogações que fervilham no seu íntimo e para as quais não encontra resposta.

O argumentista é aquele que perdeu "o uso das palavras" atribuído a outros que ajudou a criar.

Uma chamada de atenção para os desencantos e desilusões dos argumentistas de tantos filmes, indispensáveis para tornar possível a sua realização e que não veem o seu trabalho devidamente reconhecido, senão raramente.

 

*O título do filme corresponde ao nome duma carta de tarô.

Ver todos os textos de DULCE REBELO