Crise, prisões em todo o País, operários para o Tarrafal

Nº 1732 - Verão 2015
Publicado em MUD por: Redaccao Seara Nova (autor)

A repressão fascista exercida contra trabalhadores da generalidade dos sectores produtivos e contra as movimentações oposicionistas fez com que a Comissão Central do MUD, em determinada altura, já em Abril de 1947, enviasse ao Marechal Carmona, um longo protesto intitulado "A Política Nacional" do actual governo; crise, prisões em todo o País, operários para o Tarrafal. A Comissão Central protesta e solidariza-se com a juventude democrata, numa representação ao senhor Presidente da República".

Num longo documento de quinze parágrafos protestava-se claramente contra recentes actos governamentais através da sua polícia política: "É do conhecimento geral que uma larga onda de intranquilidade sacode neste momento o País. São seus sintomas mais evidentes os acontecimentos desenvolvidos à volta das reclamações de alguns sectores operários, as numerosas prisões efectuadas entre jovens e as recentes manifestações de instabilidade que já não é possível iludir, verificadas nalguns sectores militares".

"...As perseguições de que actualmente estão sendo vítimas dezenas de jovens portugueses (N.R. - pertenciam ao MUD Juvenil). A sanha com que são procurados, encarcerados, como se tratasse de perigosos delinquentes. De que os acusam? Quais são os crimes da juventude portuguesa?".

"... Para uma outra questão queremos ainda chamar a atenção de V.Exª. Vimos nos jornais, com não pequeno espanto, que iam seguir - a esta hora seguiram já com certeza - para a Colónia Penal de Cabo Verde alguns operários presos recentemente. Recorda-se decerto V.Exª. de que desde o primeiro dos nossos documentos figura entre as nossas reclamações a extinção dessa Colónia Penal que anteriormente era designada de Campo de Concentração do Tarrafal".

"...Aquela notícia nos jornais veio tornar actual toda uma velha questão. Como podemos nós aceitar como boa a simples designação de Colónia Penal a um local para onde são mandadas discricionariamente indivíduos sem julgamento? Ah! Senhor Presidente! Que razão tínhamos nós ao inscrever entre as nossas primeiras reclamações a Extinção do Campo de Concentração do Tarrafal".

Assinava esta exposição, mais tarde distribuída à população em forma de comunicado, a Comissão Central constituída por Mário de Azevedo Gomes, Bento de Jesus Caraça, António Lobo Vilela, Alberto Dias, Adriano Serrão de Moura, Maria Isabel de Aboim Inglês, Manuel Alfredo Tito de Morais e Manuel Mendes.

Não assinaram o coronel Helder Ribeiro, ausente de Lisboa e Mário Soares, delegado do MUD Juvenil na referida Comissão Central.

Ver todos os textos de REDACCAO SEARA NOVA