Augusto Abeleira

Nº 1719 - Primavera 2012
Publicado em 90 anos Seara Nova por: Revista Seara Nova (autor)

A Seara destina-se a um público, não a quem a faz; (…) a função mínima a exigir da Seara parece ser portanto a de pôr um público não especializado a par dos grandes problemas do nosso mundo (e essencialmente do nosso País), a par da real complexidade desses problemas – e com o rigor e a clareza necessários. (…) Num país onde (sem êxit, aliás) tudo tem sido feito para ensiná-lo a ler por uma só cartilha, contribuir para criar nele hábitos de curiosidade activa pelas ideias dos outros, eis um dos objectivos da Seara. Os problemas, sabemo-lo todos nós, não se resolvem escondendo certas dificuldades, só a livre discussão pode defender-nos de nós próprios, defender-nos do inevitável fracasso, das ilusões inúteis. (…) Acreditamos na Seara o que é uma forma de dizer que acreditamos nos homens. Acreditamos que ela cumprirá cada vez melhor a sua vocação. Será preciso acrescentar que esta crença – uma crença activa, não puramente passiva – na Seara Nova, esta crença em que ela será cada vez mais ampla, cada vez mais (digamos a palavra que tem já um sentido preciso) seareira, é também outra forma de vos dizermos que firmemente acreditamos no nosso País, acreditamos que ele virá a ser mais amplo, mais rico (de uma riqueza espiritual e material mais bem repartida), mais justo, mais livre.”

Augusto Abelaira

Director da Seara Nova

entre 1969 e 1973

Número 1481

Março de 1969

Ver todos os textos de REVISTA SEARA NOVA